Peru: um roteiro para desbravar o país

O Peru é um país mágico. Com sua história e cultura milenar, essa região da América Latina guarda mistérios e belezas indescritíveis. Da mundialmente famosa Machu Picchu a cidades do interior e à charmosa capital Lima, o Peru é um país must-go para quem quer desbravar o sul do continente americano.

Veja lista de países onde brasileiros têm entrada autorizada

“Mas por onde começar?”, você pode estar pensando. Não se preocupe não, porque nós preparamos um roteiro inesquecível pelas terras andinas. Está preparado?

Primeira parada no Peru: Lima

Plaza Mayor - Lima - Peru | Crédito: Shutterstock

Plaza Mayor – Lima – Peru | Crédito: Shutterstock

A capital do Peru é a principal porta de entrada no país, além de ser dona de encantos e de uma rica historia cultural. Não deixe de visitar o centro histórico e a Plaza de Armas, uma verdadeira relíquia a céu aberto. Miraflores, um dos bairros mais charmosos da cidade, também tem de entrar no roteiro, sobretudo pela vista indescritível do mar e pelo Parque do Amor, onde pode ser observada a famosa escultura “El Beso”, do artista peruano Victor Delfin.

Visite ainda a impressionante Huaca Pucllana – centro cerimonial da cultura Lima -, a Catedral de Lima, o Shopping Larcomar, o Museu Larco, o Convento de Santo Domingo e os sítios arqueológicos da região. Para fechar com chave de ouro, conheça uma das gastronomias mais famosas da América no premiado restaurante Astrid e Gastón – Casa Moreyra, assim como no restaurante Central, o escolhido quarto melhor do mundo pela revisa britânica Restaurant.

O charme de Cusco

Cusco - Peru | Crédito: Shutterstock

Cusco – Peru | Crédito: Shutterstock

Uma das cidades mais famosas do Peru e rota obrigatória para quem vai ao país, Cusco guarda um charme inca como você verá em poucos lugares na vida. Sua população calorosa, comida saborosa e as cores do artesanato local são inesquecíveis para quem visitar o destino, um dos principais caminhos para chegar a Machu Picchu. Em primeiro lugar, percorra a Plaza de Armas e os sítios arqueológicos da região, que estão entre os pontos turísticos.

Para completar o dia, caminhar no magnífico distrito de San Blas, uma mistura das culturas inca e espanhola, é uma pedida e tanto. Além disso, a Plaza Nazarenas é rodeada de casas coloniais e guarda a antiga sede da universidade San Antonio Abad; o Koricancha era um centro religioso inca e é um espetacular monumento arquitetônico; a Sacsayhuaman é uma impressionante fortaleza; e Qenqo, antigo Templo del Puma, guarda um altar para sacrifícios. Por fim, a atalaia de Puca Pucará e a Tambomachay, importantes sítios arqueológicos, são considerados um dos pilares da cosmo-visão andina.

Desbravando o Vale Sagrado em Águas Calientes

Águas Calientes - Vale Sagrado - Peru | Crédito: Shutterstock

Águas Calientes – Vale Sagrado – Peru | Crédito: Shutterstock

A vila de Águas Calientes é uma das cidades mais próximas a Machu Picchu e uma das principais paradas para chegar a uma das Sete Maravilhas do Mundo. De lá, há duas maneiras de chegar à Cidade Perdida dos Incas: fazendo a trilha Inca a pé ou pegando o trem, que passa em horários específicos – cedinho, a partir das 5h da manhã. Uma vez nela, vale admirar a espetacular vista do Rio Urubamba, que dá forma ao famoso cânion.

Machu Picchu, a estrela do Peru

Machu Picchu - Peru | Foto: Shutterstock

Machu Picchu – Peru | Foto: Shutterstock

A próxima parada dispensa apresentações – mas não fotos, portanto certifique-se de estar com um celular ou câmera em mãos. Machu Picchu é um dos cartões-postais da humanidade e está lá te esperando. Primeiramente, gostaríamos de dizer para não perder o nascer ou o pôr do sol, entre os mais lindos do planeta. Também, não deixe de visitar a casa real, o Templo de las Tres Ventanas e a Ponte Inca. E, é claro, começar tudo pela Intipunku, a Porta do Sol e a primeira vista de Machu Picchu.

Para os que gostam de uma aventura mais intensa, o Huayna Picchu não pode ficar de fora do roteiro. Essa montanha tem mais de 2 mil metros de altura e, para acessá-la, é necessário fazer reserva  com antecedência, já que são somente 400 ingressos diários.

Próxima parada: Puno

Uros - Peru | Crédito: Shutterstock

Uros – Puno – Peru | Crédito: Shutterstock

Oásis em plena margem do Lago Titicaca, Puno é um daqueles lugares indescritíveis. De ônibus ou carro de Cusco, a viagem demora cerca de 6 horas e vale cada minuto devido aos cenários de tirar o fôlego. No caminho, não deixe de parar para conhecer lugares incríveis como, por exemplo, a capela de Andahuaylillas, o Templo do Deus Wiracocha em Rachi, as belas vistas de La Raya e o Museu de Sitio de Pucará.

Já em Puno, anote aí: conhecer o lago Titicaca, visitar as famosas ilhas flutuantes com os barquinhos coloridos – essas são imperdíveis – e também tirar um tempinho para conhecer os Uros, a população pré-colombiana que mora na região e que criou a cultura das ilhas que flutuam. Por fim, a Ilha Taquile é um point e tanto graças à preservação das tradições ancestrais. Ah, aproveite para comprar os artesanatos criados na região – você não vai resistir!

Bem-vindo a Arequipa, no Peru

Arequipa – Peru | Crédito: Shutterstock

A próxima parada é em Arequipa, a capital da região de mesmo nome aos pés dos Andes. Um verdadeiro oásis em pleno cenário montanhoso, a cidade impressiona pelas belezas natural e construída. Desde seus prédios antigos da Plaza de Armas até o Museu Arqueológico da Universidade San Agustín e o bairro colonial de Yanahuara, com suas ruas estreitas e cheias de história, a cidade é parada obrigatória. Ou seja: reserve pelo menos um tempinho para explorar os seus encantos.

É hora de Nazca

Nazca - Peru | Crédito: Viajes Pacífico

Nazca – Peru | Crédito: Viajes Pacífico

A 568 km de Arequipa, Nazca está à margem do Rio Aja, um afluente do Rio Grande, em um vale estreito a 520 metros. Destino famoso pelas Linhas de Nazca, ele é impressionante por si só e, não à toa, foi tombado como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco em 1994. Os geoglifos da região são compostos por linhas, formas geométricas e silhuetas, cobrindo mais de 1.000 km² no deserto e ainda hoje misteriosos para arqueólogos, estudiosos e místicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Your compare list

Compare
REMOVE ALL
COMPARE
0