Uruguai sobre quatro rodas

Montevidéu - Uruguai | Crédito: Shutterstock

Montevidéu – Uruguai | Crédito: Shutterstock

Um sulista amado por seus vizinhos canarinhos, com os quais compartilha afinidades que vão desde a paixão pelo combo churrasco, Carnaval e futebol a um conjunto de belezas naturais e urbanas de deixar qualquer viajante de queixo caído. Esse é o Uruguai, um destino histórico, gastronômico, cultural, pulsante e praieiro do tamanho aproximado da cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, e sob medida para ser apreciado por meio de uma road trip repleta de grandes experiências e gratas surpresas a cada quilômetro rodado.

Visitado por mais de 250 mil brasileiros somente no primeiro semestre de 2019, conforme dados do Ministério do Turismo uruguaio, para iniciar um tour completíssimo pelo país a principal porta de entrada é Montevidéu, o local de onde também partiremos em direção às demais estrelas do pedaço.

Porém, antes de pisar fundo no acelerador, vai aqui uma dica preciosa: estando pela cidade, não deixe de incluir no roteiro uma voltinha, a pé mesmo, por alguns cartões-postais, tais quais a Praça Independência, o Museu da Casa do Governo, o Teatro Solís, o Mercado del Puerto e suas movimentadas orlas (chamadas de ramblas) às margens do Rio da Prata.

EMBARQUE AUTORIZADO

Los Dedos - Punta Del Este - Uruguai | Foto: Cucombre Libre

Los Dedos – Uruguai | Foto: Cucombre Libre

Após se encantar com os tesouros espalhados pela capital – vai por nós, o passageiro vai se encantar! –, a sugestão é pegar o carro rumo a outro clássico uruguaio. Seu nome? Ah, essa é fácil: Punta del Este, balneário famoso pelo agito, pelas paisagens de tirar o fôlego e pelas atrações bem variadas.

A apenas duas horas de Montevidéu e situada entre o Rio da Prata e o Oceano Atlântico, entre os milhares de programas que podem ser feitos por ali é claro que alguns merecem destaque. São eles: as tradicionais fotos tiradas no Monumento ao Afogado, escultura conhecida também como La Mano ou Los Dedos, fincada nas areias da Playa Brava; a curtição típica da Avenida Juan Gorlero, tomada por lojas, restaurantes, cafeterias, sorveterias e demais estabelecimentos comerciais badalados; uma visita ao museu Paseo de Neruda, instalado na casa onde viveu o poeta chileno Pablo Neruda; e a prática de esportes ao ar livre, como surfe, windsurfe, pesca e vela, em suas lindas praias.

UMA ROTA NOTA 10

Casapueblo – Uruguai | Crédito: Shutterstock

Casapueblo – Uruguai | Crédito: Shutterstock

Ainda seguindo pela Ruta 10, a qual interliga Montevidéu a Punta, se o relógio permitir vale muito estender o passeio para outras joias encontradas pelo caminho. A charmosa e ecoturística cidade de Piriápolis e a icônica Casapueblo, que fica em Punta Ballena e figura como uma escultura em formato de casa construída pelo artista plástico Carlos Páez Vilaró, são uma pequena amostra do que é possível aproveitar nesse trajeto.

Conseguimos chamar sua atenção? Pois saiba ainda que dá para visitar as animadas praias de La Barra – points para os baladeiros e surfistas nos meses de verão –, a graciosa e rústica vila de pescadores Jose Ignacio e a reserva ecológica de Cabo Polonio, povoado ao qual se pode chegar a bordo de uma jardineira. Mas atenção: é preciso estacionar o carro no Parque Nacional Cabo Polonio para embarcar nesses veículos adaptados à areia e, assim, descer no local, combinado?

A ESTRELA DO OESTE

Colonia del Sacramento - Uruguai | Crédito: Shutterstock

Colonia del Sacramento – Uruguai | Crédito: Shutterstock

Cruzando agora o país de uma ponta a outra, é saindo do leste rumo ao oeste do Uruguai que chegamos a Colonia del Sacramento, mais uma parada “muy rica” e imperdível para todos que se interessam por arquitetura, história e ótima gastronomia. Para completar esse trio, sugira ao viajante curtir o pôr do sol à beira do rio; o cenário é tão bonito que hipnotiza.

A cerca de duas horas de carro de Montevidéu – e a somente uma hora de barco de Buenos Aires, eis uma curiosidade –, é de frente para as águas do Rio da Prata que essa cidadezinha de heranças portuguesas e espanholas recepciona seus convidados diante de ruelas de pedras (a exemplo da elegante Calle de los Suspiros), casarões coloniais e uma coleção de monumentos fascinantes, tombados como patrimônios pela Unesco.

Quem vai para lá precisa conhecê-los, então grave bem os principais: as muralhas e o portão de entrada do destino, a Basílica do Santíssimo Sacramento, datada do século 17 e tida como a mais antiga do país, o Farol, erguido sobre as ruínas de um convento, e sua formosa Plaza Mayor, rodeada por árvores e estabelecimentos comerciais.

Em linhas gerais, Colonia segue a mesma lógica do restante do Uruguai: se esbalda em uma beleza cênica incomparável, que vale a pena ser apreciada de dentro ou de fora de um carro.  

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Your compare list

Compare
REMOVE ALL
COMPARE
0