Israel: 4 motivos para conhecer o fascinante país do Oriente Médio

Jerusalem Israel shutterstock 1080937451

Jerusalém – Israel | Crédito: Shutterstock

Embora ainda não esteja na lista dos países mais visitados do mundo, Israel tem caído nas graças dos brasileiros. E isso não é à toa, não! Entre muralhas e ruelas que carregam as marcas do tempo e o peso de quem tem muita história pra contar, o país se consolida como um destino completo e mostra que sabe, sim, ser bem moderninho. Aliás, você sabia que Israel é um dos líderes globais em ciência e tecnologia, exportando diversas inovações? O aplicativo Waze, inclusive, nasceu lá, portanto agradeça aos israelenses por essa facilidade.

10 motivos para conhecer Israel

Uma das marcas registradas do país não é segredo pra ninguém: ele é praticamente imbatível quando se trata de roteiros religiosos e tem uma aura de misticismo que conquista todo mundo, até mesmo quem nem é tão religioso assim. Some a isso uma beleza única, gastronomia premiada e a possibilidade de conhecer várias cidades em uma mesma viagem. O resultado é claro como água: muitos motivos para fazer pelo menos uma visita à região.

Se você conseguiu sentir aquela pontadinha de vontade de obter mais detalhes sobre Israel, ponto para nós! Mas, ó, é nosso dever contar que, por conta da pandemia, o país segue fechado. A parte boa é que eles têm se destacado no combate à COVID-19, o que nos faz ter todos os motivos para acreditar que a retomada do turismo acontecerá logo, logo.

A gente separou alguns motivos que explicam por que vale a pena programar uma viagem a Israel. Vamos lá?

1. Só em Israel você tem a chance de conhecer lugares sagrados para as três maiores religiões do mundo

Muro das Lamentacoes Jerusalem Israel shutterstock 591828074

Muro das Lamentações – Jerusalém – Israel | Crédito: Shutterstock

Com certeza você já ouviu falar que Israel é a Terra Santa. Pois grande parte disso se deve à Jerusalém, cidade com mais de 4 mil anos que serviu como pano de fundo para momentos importantes da vida de Jesus. Afinal, foi ali que, segundo a Bíblia, foram realizadas a Última Ceia (Cenáculo), sua condenação (Pretório) e, posteriormente, sua crucificação (Gólgota).

Isso significa que quem viaja para Yerushalaim (nome de Jerusalém em hebraico) tem a chance de visitar esses lugares? Isso mesmo! Além de poder percorrer a Via Sacra (ou Via Dolorosa), caminho pelo qual Jesus carregou a cruz antes de sua morte, dá para conferir o Monte das Oliveiras, por exemplo, que foi palco para inúmeras pregações.

Jerusalém: uma volta pela Terra Santa, em Israel

Apesar de ser sagrada para os católicos, Jerusalém também é muito importante para os judeus. Inclusive, um dos pontos preferidos de oração é o Muro das Lamentações. Ali, muita gente escreve pedidos e agradecimentos em um pedacinho de papel para depois os colocar por entre as rachaduras do muro. Nem precisa falar que a energia do lugar impressiona, né? Para coroar, a cidade abriga mais de 1,2 mil sinagogas.

Ao mesmo tempo, Jerusalém é ponto de encontro para os muçulmanos, já que, de acordo com a tradição, foi do Monte do Templo (ou Nobre Santuário) que o profeta Maomé ascendeu ao paraíso.

2. O país é pequeno, portanto uma única viagem permite conhecê-lo de ponta a ponta

Basilica da Anunciacao Nazare Israel shutterstock 1331165309

Basílica da Anunciação – Nazaré – Israel | Crédito: Shutterstock

Israel tem uma área de pouco mais de 22 mil km². Em outras palavras, quem estiver disposto a alugar um carro consegue ir de uma ponta a outra em mais ou menos quatro horas. Apesar de Jerusalém e Tel Aviv serem os grandes nomes do país, a dica é aproveitar a oportunidade para conhecer Nazaré, Haifa, Belém, Eilat e Tiberíades, bem como a região da Galileia e o Deserto da Judeia.

Muitas agências de turismo oferecem passeios de dia inteiro para esses lugares – e, acredite, há muito a ver e fazer em todos eles. Em Nazaré, por exemplo, a atração mais popular é a Basílica da Anunciação. De acordo com a tradição católica, foi ali que o Anjo Gabriel apareceu para Maria e avisou que ela seria mãe de Jesus.

Outras opções interessantes envolvem ir até o Rio Jordão – quem quiser pode até participar de cerimônias de batismo – e ao Mar Morto. A água, extremamente salgada, impede que qualquer pessoa afunde. Ou seja: mesmo se você não souber nadar, vai conseguir flutuar. Essa característica única resulta em muitas fotos divertidas, então garanta uma câmera em mãos! Além da água salgada, o Mar Morto também é rico em lama negra. Ela é usada em muitos tratamentos terapêuticos e estéticos na região, uma vez que deixa a pele bem lisinha e macia.

3. Tel Aviv, a Rio de Janeiro de Israel

shutterstock 415012924

Tel Aviv – Israel | Crédito: Shutterstock

Se você já viu alguma foto de Tel Aviv deve ter reparado que muitas construções seguem o mesmo padrão: são pintadas de bege clarinho e quadradas, como se estivessem imitando uma caixa. Pois é. Isso acontece porque Tel Aviv incorporou bem o estilo Bauhaus à sua arquitetura, superando até mesmo a Alemanha, onde nasceu o movimento.

As praias de Israel: por que vale a pena conhecer o destino

É claro que, por ser a segunda maior cidade do país, bem como sua capital econômica, Tel Aviv chama a atenção de muita gente. Mas prepare-se para se surpreender: a combinação entre praia e dias ensolarados dá ao destino um quê de Rio de Janeiro.

Fugindo bastante do tradicionalismo religioso que impera no país como um todo, a região se destaca por ser gay friendly e pela vida noturna pra lá de agitada. Ah, e tem um bônus: pertinho do centro, a cerca de 20 minutos de carro, fica o porto de Jaffa, o porto mais antigo do mundo em atividade.

4. Dá para comer muito – e muito bem

Refeicao tradicional com hummus e falafel Israel shutterstock 1721181121

Refeição tradicional, com hummus e falafel – Israel | Crédito: Shutterstock

A gastronomia em Israel é um ponto bem forte, sobretudo para os brasileiros. Sabe por quê? O país possui uma variedade de pratos típicos relativamente conhecidos por aqui, especialmente por quem se amarra em comida árabe. Iguarias como baba ganoush, falafel, hummus, crepes, shakshuka e shawarma são muito presentes na culinária. Outra semelhança com os brazucas é o gosto por café: quem é fã da bebida vai se deparar com inúmeros lugares para apreciá-la sem moderação.

Como é a gastronomia em Israel: 4 lugares para comer bem

Tá a fim de ir pra Israel em um futuro próximo? Então saiba que a gastronomia israelense usa e abusa de alguns ingredientes. São eles: azeitonas, tâmaras, figos, romãs, trigo, ovos, grão-de-bico, castanhas, pistache, cebolas, pimentas, carnes… enfim, tudo o que for bem fresco, saboroso, colorido e saudável.

E a pandemia em Israel?

Praia Publica Central e Marina em Eilat Israel shutterstock 1019549344

Praia Pública Central e Marina, em Eilat – Israel | Crédito: Shutterstock

Como Israel vinha se fortalecendo cada vez mais no turismo mundial, em 2020 havia a expectativa de superar os 5 milhões de turistas internacionais no país. Contudo, por conta da pandemia, o destino teve que frear o turismo para proteger a população e conter o boom no número de casos.

Apesar de a situação ainda ser bastante delicada, Israel vem se destacando no quesito vacinação. Até o momento, mais de 1 milhão de israelenses já receberam a primeira dose do imunizante desenvolvido pela Pfizer. Por conta disso, há planos de reabrir as fronteiras no meio do ano e voltar a dar as boas-vindas para viajantes de todo o mundo.

Para reaquecer o setor aos poucos, o Ministério do Turismo de Israel implementou uma série de medidas ao longo do ano passado. Visando reativar o turismo doméstico e dar uma força para os guias turísticos, o governo orçou milhares de visitas guiadas para o público em geral. A iniciativa foi firmada com a Autoridade de Parques e Natureza de Israel, mas pretende incluir ainda atrações turísticas pagas. A ideia é estimular os israelenses a viajarem pelo país e, também, evitar que os guias deixem de receber.

Neste sentido, diversas campanhas de incentivo ao turismo nacional estão ganhando fôlego. Uma delas incentiva a população a passar as férias em Eilat e na área dos hotéis do Mar Morto, desde que respeitadas todas as diretrizes do Ministério da Saúde.  Outro ponto diz respeito aos hoteleiros, a quem serão destinados 300 milhões de shekels. O objetivo, é claro, é preservar a infraestrutura hoteleira.

Quer ir para Israel? Consulte um agente de viagens

Mar Morto Israel shutterstock 280196003

Mar Morto – Israel | Crédito: Shutterstock

Se, depois de ler este post, você ficou interessado em fazer de Israel seu próximo destino, joia! Nossa última dica pode fazer toda a diferença na sua aventura: consulte um agente de viagens. Dessa forma você garante assistência antes, durante e depois da viagem e, de quebra, tem acesso às melhores opções de roteiro – inclusive àqueles que cabem no seu bolso.

Depois volte aqui pra contar pra gente como foi, viu? Isso porque seu depoimento pode ajudar a esclarecer as dúvidas de muita gente 😉

Os comentários estão encerrados.

Your compare list

Compare
REMOVE ALL
COMPARE
0