De carro pela Itália: um tour de Roma a Florença com a Avis

Roma | Crédito: Shutterstock

Roma | Crédito: Shutterstock

Coliseu - Roma | Crédito: Shutterstock

Coliseu – Roma | Crédito: Shutterstock

Vaticano, Coliseu, Fontana di Trevi, Pantheon… Você sabe em qual destino fica tudo isso? Roma, a Cidade Eterna. Ponto inicial para um roteiro pela Itália de fazer os olhos brilharem, a bela capital do país tem muito a oferecer e é surpreendente em todos os sentidos. Quer tirar a prova? Então não deixe de conhecê-la melhor por meio do conteúdo disponível aqui no Segue Viagem. Acredite, vai valer a pena!

Para quem ainda está decidindo como explorar a região, a gente tem uma sugestão e tanto: road trip, baby! Se essa ideia te anima, aqui vai a primeira dica: na hora de alugar um carro, aposte na Avis, marca pertencente ao Avis Budget Group. Além do portfólio supercompleto, a locadora trabalha com tarifas sem franquia no Velho Continente.

Tenha sempre em mente também que, para dirigir em território italiano, é obrigatório apresentar a Permissão Internacional para Dirigir (PID), passaporte, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e cartão de crédito internacional com limite para bloqueio caução.

Tudo na ponta da língua? Então #partiu!

PARA COMEÇAR EM GRANDE ESTILO

Ao deixar Roma para trás – é difícil, a gente sabe! –, a primeira parada da lista é em Civita di Bagnoregio, pequeno vilarejo fincado no alto de um morro. Ao chegar, uma ponte estreita conduz até o centro, onde charmosas ruelas permitem uma excepcional viagem no tempo. Curiosidade: ali foram gravadas cenas da novela “Esperança”, estrelada por Reynaldo Gianecchini e Ana Paula Arósio em 2002.

Civita di Bagnoregio - Itália | Crédito: Shutterstock

Civita di Bagnoregio – Itália | Crédito: Shutterstock

A cerca de 35 minutos de distância, Orvieto dá um show à parte no quesito arquitetura. É imprescindível visitar o Duomo di Orvieto, a cidade subterrânea e o Poço de São Patrício, este último construído por ordem do Papa Clemente VII, que temia uma insuficiência de água no local. Considerado uma obra-prima da engenharia hidráulica, tem mais de 63 metros de profundidade e é acessado por meio de uma escada com 248 degraus. Aproveite para jogar moedas e fazer vários pedidos!

Poço de São Patrício - Orvieto | Crédito: Shutterstock

Poço de São Patrício – Orvieto | Crédito: Shutterstock

Curtiu? Então vamos adiante, explorando mais alguns destinos que ficam em colinas. Montepulciano, por exemplo, permite vistas magníficas da Val D’orcia, região lindíssima da Toscana considerada Patrimônio Mundial pela Unesco em 2004. Além disso, palacetes, catedrais antigas, ruelas estreitas e o icônico Tempio di San Biaggio, relíquia renascentista assinada pelo arquiteto Antonio da Sangallo il Vecchio, atraem os olhares de quem passa pela comuna. Pertinho dali, Pienza é outra região que chama a atenção, principalmente devido ao queijo de ovelha pecorino, especialidade local.

Val D'orcia - Itália | Crédito: Shutterstock

Val D’orcia – Itália | Crédito: Shutterstock

QUASE LÁ: SIENA E SAN GIMIGNANO

Próxima parada: Siena. Também chamada de Via Chiantigiana, reza a lenda que foi fundada pelos filhos de Remo, irmão gêmeo de Rômulo, o qual é considerado o fundador de Roma. Rica em história e transbordando patrimônios, a Piazza del Campo abriga a Palio di Siena, tradicional corrida de cavalos realizada anualmente nos dias 02/07 e 16/08, e é cenário para muitas fotos. Quer mais? Então visite: Palazzo Comunale (também chamado de Palazzo Pubblico), edificado entre os séculos 13 e 14, e o Museu Cívico, que fica em seu interior; Fonte Gaia, datada originalmente do século 15; e a Torre del Mangia, monumento de meados de 1300 que brinda quem consegue chegar ao topo com um panorama maravilhoso da região.

Siena - Itália | Crédito: Shutterstock

Siena – Itália | Crédito: Shutterstock

Novamente na estrada, San Gimignano, apelidada de “Manhattan Medieval”, viveu seus tempos de “Big Apple” nos três primeiros séculos do milênio, quando tinha mais de 70 arranha-céus em estilo medieval, erguidos como símbolos de riqueza e poder para abrigar a elite. Além das 13 casas-torres medievais que ainda restam, definitivamente vale uma visita à triangular Piazza della Cisterna, onde fica o poço que demarca o centro do destino, e à Piazza del Duomo, endereço da milimetricamente ilustrada Catedral de San Gimignano e do Palazzo Comunale, que serve como acesso à Torre Grossa, a mais alta da cidade.

ENFIM, FLORENÇA

Florença - Itália | Crédito: Shutterstock

Florença – Itália | Crédito: Shutterstock

Chegamos! Florença, praticamente um museu a céu aberto e cujo centro histórico foi tombado pela Unesco em 1982, guarda diversas preciosidades, a exemplo da grandiosa Catedral de Santa Maria del Fiore (Duomo di Firenze), que remonta ao final do século 13. Parte do complexo, destaque também para o Batistério de São João, erigido em homenagem ao santo padroeiro do destino em 1059 e um dos points preferidos dos visitantes por conta da Porta do Paraíso, ícone da renascença florentina. Nos arredores fica ainda o Campanário de Giotto e o Museo dell’Opera del Duomo.

Sucesso garantido, hora de partir para a Ponte Vecchio, um dos ícones mais antigos e prestigiados da capital da Toscana. Construída no século 14, cruza o Rio Arno e tem várias lojinhas ao longo de sua extensão. Fato interessante: é nela que fica o Corredor Vasariano, passagem secreta do período da dinastia Médici, em 1565, que liga o Palazzo Vecchio ao Palazzo Pitti.

Ainda por lá, muitos lugares merecem atenção especial: o histórico Palazzo Vecchio, sede da prefeitura e de um museu; a Gallerie degli Uffizi, onde estão concentradas obras-primas de gênios como Raffaello Sanzio, Sandro Botticelli e Leonardo Da Vinci; Palazzo Pitti, endereço de museus como Galleria del Costume, Galleria d’Arte Moderna e Museo delle Porcellane; os Jardins de Boboli, maior área verde da cidade, construída por ordem dos Medici, família de banqueiros e comerciantes que governou Florença; e a Galeria dell’Accademia, onde está a célebre escultura de Davi assinada por Michelangelo.

Para fechar com chave de ouro, que tal um pulinho na Piazza dela Repubblica? Não deixe de ir lá para passar a mão no focinho dourado do javali da Fontana del Porcellino e garantir sorte extra.

UMA ESTICADINHA GASTRONÔMICA

Garisenda e Asinelli - Bolonha - Itália | Crédito: Shutterstock

Garisenda e Asinelli – Bolonha – Itália | Crédito: Shutterstock

A aproximadamente 80 km de Florença, Bolonha é reconhecida como o mais irresistível polo gastronômico de toda a Itália. Apelidada de “La Grassa” (em português, “A Gorda”), a encantadora cidade medieval é o local de nascimento do famoso molho bolonhesa (em italiano, “ragù“), receita à base de carne moída que, no destino, é servida com tagliatelle (massa cortada em tiras).

Fixada no coração da Emília Romagna, região situada ao norte da Itália, é facilmente acessada de carro e é digna dos holofotes por exibir pontos turísticos como: a Universidade de Bolonha, a mais antiga da Itália; as torres Garisenda e Asinelli, as quais representam marcos medievais; e, claro, a Piazza Maggiore, endereço da imponente Basílica de San Petronio.

Diante de tantas belezas, impossível mesmo é não escolher o “país da bota” para a próxima aventura em quatro rodas. Então seja bem-vindo à Itália; ou, melhor, benvenuti in Italia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Your compare list

Compare
REMOVE ALL
COMPARE
0