Israel começará a reabrir para estrangeiros em 09/01/2022

Tel Aviv Israel shutterstock 1274808763

Tel Aviv foge do tradicionalismo religioso de Israel: é LGBT+ friendly, tem praias e dias ensolarados e é bem agitada | Crédito: Shutterstock

Tel Aviv Israel shutterstock 1274808763

Acima de tudo, Tel Aviv foge do tradicionalismo religioso de Israel: é LGBT+ friendly, tem praias e dias ensolarados e é bem agitada | Crédito: Shutterstock

Israel vai admitir estrangeiros(as) vacinados(as) ou recuperados(as) da COVID-19 de países considerados de risco médio na próxima semana. A decisão reverte em partes uma proibição imposta no final de novembro em resposta à variante Ômicron, que vem se espalhando com rapidez. As informações são da Reuters.

Viagem para Israel: 4 diferenciais do país do Oriente Médio
10 motivos para conhecer Israel

De acordo com o Ministério da Saúde, a partir de 09/01/2022 viajantes de 199 países “laranja” vão poder entrar desde que comprovem que estão vacinados(as) ou se recuperaram da doença. Hoje, o Brasil faz parte desta lista laranja. Com isso, ao chegar ao país, brasileiros(as) devem ficar isolados(as) até que recebam o resultado negativo de um teste PCR, o qual deve ser realizado no terceiro dia após a entrada em Israel.

Eilat Israel shutterstock 1379391452

Se amarra em sol e praia? Pois então dá uma olhada nas paisagens de Eilat, em Israel | Crédito: Shutterstock

As melhores praias de Israel: por que vale a pena conhecê-las

A lista inclui outros países, como Austrália, Itália e Irlanda. Ao mesmo tempo, África do Sul, Nigéria, Espanha, Portugal, França e Canadá devem ser classificados como “laranja”. Eles constam entre os 16 países listados como “vermelho” ou de alto risco para COVID-19.

Por outro lado, países como EUA, Grã-Bretanha, Emirados Árabes, México, Suíça e Turquia, por exemplo, seguem na lista vermelha. Sendo assim, quem vem desses destinos precisa de permissão especial antecipada de um comitê israelense para poder entrar.

Israel também reduziu os períodos de autoisolamento de precaução para pessoas que foram expostas a infectados pela COVID-19. Isso porque o governo se preocupa de que a quarentena em massa possa paralisar a economia.

Fonte: Panrotas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Your compare list

Compare
REMOVE ALL
COMPARE
0