Tendência: o mundo de portas abertas para a melhor idade

Crédito: Shutterstock

Crédito: Shutterstock.com

Trazendo na bagagem uma longa experiência na estrada da vida, não é à toa que os idosos vêm conquistando cada vez mais espaço no mercado turístico. Afinal, com o aumento progressivo da expectativa de vida, esse público tem ultrapassado a marca dos 60 anos esbanjando vitalidade e, em muitos casos, disponibilidade maior de tempo e dinheiro.

Representando uma parcela de mais de 30 milhões de pessoas no Brasil, segundo dados do IBGE, os baby boomers – nome dado à geração nascida entre meados das décadas de 1940 e 1960 – devem seguir em alta no setor de viagens. Porém, para colocar diante desses atuais e potenciais passageiros produtos e serviços sob medida, é preciso levar em consideração alguns requisitos básicos e muito importantes, sobre os quais o Segue Viagem entra em detalhes a seguir.

Perfil de consumo: de acordo com dados do Ministério do Turismo e do Relatório de Inteligência do setor, divulgado pelo Sebrae de Santa Catarina em fevereiro de 2019, 56% dos viajantes da terceira idade são formados por mulheres, 76,3% viajam de avião, 64,8% se hospedam em hotéis ou pousadas, 61,4% gostam de viajar fora do período de férias escolares, 70% preferem explorar o mundo com pessoas de faixas etárias diversas e 54% fecham pacotes por intermédio de um agente de viagens.

Necessidades específicas: com base na cartilha “Dicas para atender bem turistas idosos”, produzida pelo MTur, algumas recomendações de atendimento a esse público envolvem: analisar com cuidado as características e demandas especiais de cada cliente; atentar-se aos padrões de acessibilidade; detalhar o roteiro ao máximo, incluindo pormenores vinculados à mobilidade, paradas para descanso e horários de refeições; e ter em mãos uma ficha do passageiro com informações pessoais, relacionadas sobretudo a condições de saúde, medicamentos utilizados e/ou restrições alimentares, bem como o contato de médicos de confiança e/ou familiares.

Destinos recomendados: entre os nacionais, algumas pedidas certeiras são Águas de Lindóia (SP), Caldas Novas (GO), Campos do Jordão (SP), Fortaleza (CE), Gramado (RS), Holambra (SP), Maceió (AL), Natal (RN) e as cidades históricas de Minas Gerais. Já no âmbito internacional, os destaques vão para países como Canadá, França, Itália, Portugal e Uruguai.

Viagem com avós: mais uma tendência para 2020

Crédito: Shutterstock

Crédito: Shutterstock.com/Paulo Nabas

Outra aposta do turismo que envolve essa parte da população é, na verdade, um encontro de gerações: a de viagens entre avós e netos.

Viagens com menores de idade: saiba quais são os documentos exigidos

Excelentes oportunidades para trocar experiências, aproximar a família e criar lembranças imunes à ação do tempo, na hora de montar um roteiro personalizado para esse segmento aqui vão duas sugestões sem erro:

  • investir em pacotes completos, com direito a seguro-viagem, transfer in/out e acompanhamento de guia e/ou monitores; e

  • optar por destinos e/ou atrativos que sejam acessíveis e agradáveis a todas as idades, assim como cruzeiros, passeios de trem, resorts all inclusive e hotéis-fazenda, por exemplo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Your compare list

Compare
REMOVE ALL
COMPARE
0