Checklist de viagem: o que levar em consideração para programar uma trip

checklist de viagem shutterstock 1216281910

Você sabia que fica mais fácil planejar uma aventura com um checklist de viagem? Então vem ver quais são os passos | Crédito: Shutterstock

checklist de viagem shutterstock 1216281910

Você sabia que fica mais fácil planejar uma aventura com um checklist de viagem? Então vem ver quais são os passos | Crédito: Shutterstock

Investir tempo em um bom planejamento é essencial pra quem tá a fim de fazer uma viagem sem perrengue. Mas são tantas coisas pra considerar que às vezes a gente nem sabe por onde começar, né? Por isso, preparamos uma pequena checklist de viagem que pode ser uma mão na roda nesse momento. 

Feriados de 2023: datas e ideias de viagens para cada época do ano

Na nossa lista você encontra as etapas essenciais pra programar uma viagem, incluindo detalhes como pesquisar sobre o clima do destino e checar quais documentos é necessário ter na carteira (ou no celular). Embora a gente mencione isso no decorrer do texto, vale reiterar a importância de incluir um(a) agente de viagens neste processo. É claro que muita pesquisa pode ser feita por conta própria, até mesmo pra ajudar a definir que tipo de viagem vai ser, mas o melhor caminho sempre vai ser fazer tudo isso com o respaldo de um(a) profissional 😉

Bom, então vamos lá? Leia cada item com atenção pra não perder nadinha!

Checklist de viagem: passo a passo para programar uma trip

1. Escolher as datas e o destino da vez (e ter uma noção de quanto se quer gastar)

Acima de tudo, o período disponível para viajar influencia 100% na escolha do destino. Portanto, é fundamental checar fatores como o clima e o fluxo de turistas no lugar – e não acabar no Caribe na temporada de tempestades, por exemplo. O custo, as preferências de passeio e as possibilidades das companhias de viagem, assim como as distâncias a serem percorridas, também entram nessa conta. Ah, sim: confira a moeda utilizada (se a trip for para fora do Brasil) e quanto ela vale em relação ao real para ter uma dimensão dos gastos. 

2. Contatar um(a) agente de viagens

Já tem uma ideia de para onde quer ir e quando quer ir? Maravilha! Então o próximo passo deve ser encontrar um(a) agente de viagens e conversar com ele(a). Este(a) profissional garante uma viagem mais segura e organizada, além de muitas vezes ter acesso a tarifas menores de passagens aéreas e hotéis. Ele(a) cuida de todos os detalhes importantes, incluindo toda a parte burocrática, e ainda pode dar assistência durante a viagem. Ou seja: pintou algum imprevisto no meio do caminho? Sem problemas, é só comunicar o(a) agente e verificar com ele(a) o melhor jeito de proceder. Detalhe: ele(a) precisa saber o orçamento disponível para estruturar algo que caiba no bolso. 

Por que comprar com um(a) agente de viagens: 13 motivos

3. Escolher o voo ou outro tipo de transporte

aviao shutterstock 1128633611

Tá a fim de viajar de avião ou com qualquer outro meio de transporte? Feche a viagem com o apoio de um(a) agente de viagens | Crédito: Shutterstock

Outra coisa que o(a) agente de viagens tem que saber: os meios de transporte desejados. A aventura vai começar com uma viagem de avião e depois migrar para uma road trip? O intuito é fazer um cruzeiro saindo do Brasil (ou do exterior)? Tudo isso deve ser levado em consideração, até mesmo pra determinar conexões, horários e valores. Se a viagem for de carro, é bom checar qual é o melhor veículo para alugar (devido à quantidade de bagagem e ao número de pessoas), as condições da estrada e simular os gastos com combustível e pedágio para não ter nenhuma surpresa.

Quem topa conhecer a Itália de carro? Saiba para onde ir e o que fazer

4. Pesquisar sobre o transporte local

Acima a gente comentou sobre a importância de definir como se pretende chegar ao destino escolhido. Mas e depois de chegar lá, hein? Após desembarcar a ideia é gastar o mínimo possível com transporte e fazer tudo o que der a pé? Ou o conforto vem em primeiro lugar porque, entre os(as) viajantes, tem uma pessoa idosa e/ou com deficiência? 

Em linhas gerais, nesta etapa a ideia é entender que tipo de transporte será usado durante a viagem: metrô, trem, carro, ônibus, barco… Isso vale tanto dentro de uma cidade quanto entre os destinos que vão ser visitados. Além disso, um(a) agente de viagens pode  deixar tudo no esquema para aproveitar transfers compartilhados ou privativos, se for esta a ideia. 

5. Escolher a acomodação

pet shutterstock 2240923179

A escolha da hospedagem ideal é parte importante da checklist de viagem, ainda mais se a viagem for com pet | Crédito: Shutterstock

O tipo de hospedagem depende do destino, do orçamento e do perfil do(a) viajante. Ao mesmo tempo, vale prestar atenção à localização, porque ela influencia totalmente nos deslocamentos no decorrer da trip. Se for uma viagem de praia ou ecoturismo, convém mapear bem o destino antes de escolher onde ficar. Isso porque o endereço do hotel ou pousada deve corresponder à expectativa do(a) viajante. Não faz sentido querer ficar perto do burburinho noturno e se hospedar em uma área remota, ideal pra quem busca por tranquilidade, por exemplo. 

Dica de ouro: a aventura vai ter a companhia de algum pet? Ótimo! Porém, a dica é definir isso com antecedência, pois este detalhe faz diferença na escolha do hotel (que deve ser pet friendly).

11 hotéis pet friendly espalhados pelo Brasil

6. Organizar um roteiro dia a dia

Com as datas, o destino, o hotel e os meios de transporte escolhidos, é conveniente criar um arquivo de texto para a viagem e dividi-lo por dias (dia 1, dia 2, dia 3…). Este roteiro pode ser atualizado à medida que passeios forem reservados e outros detalhes decididos. Dependendo da viagem, pode valer também criar um mapa personalizado no Google com o recurso “my maps”. 

De toda forma, o(a) agente de viagens vai compartilhar todos os vouchers e todo o roteiro. Converse com ele(a) sobre a maneira mais prática e eficaz de organizar todas essas informações 🙂

7. Adquirir um seguroviagem

De modo geral, o seguro-viagem é um aliado e tanto quando rolam imprevistos, principalmente para cobrir despesas médicas, que elas podem sair uma nota, ainda mais no exterior. A maioria dos planos também inclui extravio de bagagem, oferecendo ainda mais tranquilidade ao(à) viajante. 

Além da questão da segurança, muitos países, sobretudo europeus, vetam a entrada de quem não apresentar seguro-viagem com cobertura mínima de 30 mil euros, sabia? Logo, faz todo o sentido embarcar já com o seguro garantido e, assim, evitar dor de cabeça. 

Tratado de Schengen: o que é e por que é importante conhecer

8. Checar quais documentos são necessários

Passaporte, certificado de vacinação (não só de COVID-19, mas de febre amarela também), visto e Permissão Internacional para Dirigir (PID), entre outros, podem ser exigidos no embarque ou então durante a viagem, especialmente se ela for a outro país. 

Ao mesmo tempo, a dica é ficar de olho nos protocolos de entrada adotados por conta da pandemia. Apesar de vários destinos terem afrouxado as restrições de entrada, essas regras costumam mudar de uma hora pra outra. Dessa forma, a sugestão é, antes do embarque, acessar o site do consulado ou então da embaixada do destino em questão para verificar se houve alguma atualização neste sentido. Em outras palavras, este é um item importantíssimo de uma checklist de viagem!

Tá a fim de descobrir quais são os protocolos de entrada nos países? Então clique aqui

9. Ver que mala levar (e o que vai dentro dela!)

checklist de viagem mala shutterstock 1979606651

Antes de qualquer coisa, planejar o que levar na mala ajuda a não esquecer nada | Crédito: Shutterstock

As malas que estão em casa são adequadas à viagem ou é preciso adquirir outras? Lembre-se: a bagagem de mão deve respeitar dimensões específicas (55 cm x 35 cm x 25 cm e peso máximo de 10 kg). Da mesma maneira, há regras envolvendo o peso das malas a serem despachadas: 23 kg para voos nacionais e 32 kg para voos internacionais (embora algumas companhias aéreas também trabalhem com 23 kg). 

Como deixar a mala de viagem mais leve: 7 passos

Convém ainda analisar as atividades que serão feitas nos destinos para ver se é preciso levar algum item específico, como um calçado especial para a neve, por exemplo. Remédios de uso frequente e que não podem ficar de fora são outros itens que requerem atenção.

10. Pesquisar o que fazer e onde comer

Com a ajuda de um(a) agente de viagens e fontes online, a recomendação é incluir no roteiro os possíveis programas da viagem já vendo se é necessário reservar algum passeio ou comprar algum ingresso com antecedência. Também é legal pesquisar restaurantes bacanas da região. Afinal, isso adianta a vida, ajuda a fazer refeições melhores e evita cair em roubadas “pega-turista”.

Melhores aplicativos para viajantes: veja 9 dicas

Faltou alguma coisa nessa checklist de viagem? Conte para a gente como você costuma organizar suas viagens aqui nos comentários!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Your compare list

Compare
REMOVE ALL
COMPARE
0