Passeio de barco pelos canais de Amsterdã

Amsterdã - Holanda

Muito do charme de Amsterdã pode ser creditado aos seus canais. Neles, os barcos transformam-se em casas de fato, que pagam impostos e recebem água, gás e calefação da prefeitura. Uma delícia ver as flores em suas janelas ou olhar a cidade de um canal.

Se é imperdível fazer um passeio pelos canais de Veneza, na Itália, também na capital holandesa nada melhor que passear de barco por eles para apreciar a cidade ao seu redor. As rotas são feitas por várias empresas e acontecem ao longo do dia. A saída ocorre bem em frente à estação central de trem. Consulte seu agente de viagem para que ele possa incluir uma delas em seu itinerário. As básicas duram pouco mais de uma hora.

Faça sol ou faça chuva

Mesmo que esteja um dia nublado e de frio em Amsterdã, como não é difícil acontecer, não se preocupe, os barcos têm suas laterais e tetos de material transparente e você não irá perder nenhum detalhe. Eles são equipados também com audioguia com opção em português e, cada vez que um lugar emblemático é visto uma explicação irá acompanhar o turista.

Se há, pelo menos, 2.500 barcos que viraram casa pelos canais, o número de pontes também é de surpreender, são 1.500! Entre uma casa, barco e ponte, a cidade vai sendo descoberta ao seu redor. Você irá perceber que algumas edificações são tortas e todas, sem exceção, possuem janelas grandes. Acontece que pela grande quantidade de canais no destino, o solo não é rígido. As janelas que ocupam grande parte das paredes servem para deixar as construções leves. As que estão tortas ficaram assim por conta da terra pouco firme.

Roteiros pela cidade

No roteiro mais tradicional dos barcos, eles passam pelas residências mais nobres de Amsterdã. Por ali, as casas chegam a ter até seis metros de largura da fachada, algo que é considerado grande para os padrões da capital holandesa. Uma construção que merece sua atenção, e até uma visita em outro momento, é a casa de Anne Frank. A menina judia ficou escondida no local por anos durante a Segunda Guerra Mundial e acabou sendo capturada. Desde 1960, o local virou um museu e é um dos muitos locais inspiradores para ser visto em sua viagem ao destino, seja caminhando ou de dentro de um barco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Your compare list

Compare
REMOVE ALL
COMPARE
0