Keep calm: destinos para quem quer desacelerar

Crédito: Shutterstock

Crédito: Shutterstock

Crédito: Shutterstock

Crédito: Shutterstock

Paraísos ecoturísticos, recantos bucólicos, vilarejos medievais e cenários deslumbrantes em meio a lugares que praticamente podem ser considerados inóspitos. Aí estão quatro exemplos de destinos pertencentes à chamada “small town travel” (em português, viagem para pequenas cidades), tendência que está caindo nas graças dos turistas em busca de sossego, descanso e experiências – literalmente! – fora do comum.

E quem diz isso são as pesquisas de mercado. Segundo levantamento realizado pelo Pinterest, rede social de compartilhamento de imagens, com base no comportamento de seus mais de 250 milhões de usuários, este segmento tem despertado cada vez mais o interesse dos consumidores, registrando aumento de 276% nas buscas efetuadas na categoria de viagens da plataforma.

PISANDO NO FREIO

Indo na contramão da badalação, da correria e do tempo cronometrado, nesse nicho especializado em lugares remotos e no melhor estilo “slow travel” a regra do roteiro é desacelerar – o que está longe de significar monotonia ou baixa oferta de atrações. Muito pelo contrário! Para comprovar esta teoria, o Segue Viagem convida você a dar um giro ao redor do mundo e a conhecer destinos onde relaxar e se divertir dividem o mesmo espaço sem qualquer complicação. Espia só!

Crédito: Shutterstock

Crédito: Shutterstock

Jalapão (Brasil): dono de uma natureza quase intocada e ideal para a prática de atividades ecoturísticas, neste oásis do estado do Tocantins dunas, rios, cachoeiras, serras, chapadões, fervedouros (que são como piscinas naturais, nas quais é impossível afundar) e outros encantos dão as boas-vindas, oferecendo uma programação repleta de aventura e beleza.

Crédito: Shutterstock

Crédito: Shutterstock

Purmamarca (Argentina): é ao norte da terra de nossos hermanos, próximo à fronteira do país com a Bolívia e o Chile, que um pequenino povoado da província de Jujuy chama a atenção pela combinação de história e riquezas naturais. Seu nome? Purmamarca, o lado andino da Argentina, cujo cartão-postal é o Cerro de Los Siete Colores, monumento arquitetônico esculpido pela natureza há milhares de anos em diferentes colorações.

Crédito: Shutterstock

Crédito: Shutterstock

Coyhaique e Puerto Aysén (Chile): seguindo, agora, para a Patagônia Chilena, as cidades de Coyhaique e Puerto Aysén são excelentes apostas se o interesse é por passeios ao ar livre, esportes radicais e paisagens arrebatadoras. Isso porque esses dois redutos ecológicos são protagonizados por bosques, lagos, fiordes, cachoeiras e outros atrativos que têm tudo a ver com a proposta de recarregar as energias por meio da força e da formosura da natureza.

Crédito: Shutterstock

Crédito: Shutterstock

Tampa (EUA): a cerca de 1h30 de carro de Orlando, na Flórida, se a procura é por opções de lazer e entretenimento nos States, Tampa surge como um destino irresistível. Além do fabuloso Busch Gardens Tampa Bay, são muitos os bares, restaurantes, lojas e parques urbanos, sob medida para um tour livre, leve e solto.

Crédito: Shutterstock

Crédito: Shutterstock

Évora (Portugal) e Toscana (Itália): já no continente europeu, dois destinos graciosos e que parecem ter sido feitos para explorar em um ritmo mais devagar são a portuguesa Évora, na exuberante região do Alentejo, e as italianíssimas cidadezinhas da Toscana, como Cortona, Arezzo, Siena, San Gimignano e San Miniato, que compartilham uma extensa coleção de pontos turísticos histórico-culturais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Your compare list

Compare
REMOVE ALL
COMPARE
0